voltar ao início
Iniciativas

Pesquisa por tipo



Acções Comunitárias
Acções de Cooperação
Apresentações/Lançamentos
Conferências e Seminários
Conteúdos de Cidadania na Internet
Divulgação Cultural
Edições
Exposições
Formação
Internet
Organização de Conteúdos
Prémio FMS
Protocolos
Formação: História Contemporânea
CHC
Edições: Cadernos Democráticos
Edições: CDROM
Formação: Cidadania
Edição: Documentos
Inaugurações
Organização de Conteúdos: dossiers
Actividades Editoriais
Dossiers na Internet
Edições: Catálogos
HOPE
1 a 11 de 59mais antigas

000585

O Tempo e O Modo, I Série

14-6-2007: 18,00Livraria da Biblioteca Nacional, Lisboa
000585

Lançamento e apresentação do DVD-ROM O Tempo e O Modo, I Série. Edição conjunta do Centro Nacional de Cultura, o Seminário Livre de História das Ideias da FCSH-UNL, a Biblioteca Nacional de Portugal e a Fundação Mário Soares

000577

O Tempo e O Modo, I Série

31-5-2007: 18,00Centro Nacional de Cultura, Galeria Fernando Pessoa, Largo do Picadeiro, n. 10, ao Chiado
000577

Lançamento e apresentação do DVD-ROM O Tempo e O Modo, I Série, com Apresentação de João Bénard da Costa. Edição conjunta do Centro Nacional de Cultura, o Seminário Livre de História das Ideias da FCSH-UNL, a Biblioteca Nacional de Portugal e a Fundação Mário Soares

000562

A Crise Académica de 1962

24-3-2007
000562

Assinalando o 45.º aniversário da Crise de 62, editamos um CD-ROM com documentos e fotografias dos principais acontecimentos que então se verificaram, reunindo mais de 300 documentos (com mais de 1.000 páginas), 120 fotografias, 400 primeiras páginas do Diário de Lisboa da época e ainda testemunhos de alguns dos participantes da Crise.

000545

Malangatana: Desenhos de Prisão

18-10-2006: 21,30Sala de Exposições da Fundação Mário Soares
000545

Exposição de Desenhos, na sua maioria inéditos, realizados por Malangatana entre 1965 e 1966, durante os períodos em que esteve preso. Testemunho e memória, embora com recurso a técnicas necessariamente limitadas pelas circunstâncias, estas obras inserem-se claramente no que de mais essencial constitui a estética desenvolvida pelo Artista. Ora violentos - a violência praticada na prisão - ora sonhadores - o sonho de liberdade de qualquer preso - ora com recurso às suas mais fundas origens culturais - as da sua aldeia e do seu povo - ora evocando as famílias - e as tragédias quotidianas - ora virados para o futuro - imaginando o seu país livre e independente - esses desenhos aparecem-nos, na sua diversidade, como um claro retrato da vida e dos sonhos de Malangatana e dos seus companheiros de prisão e de luta.

000515

Documentos Mário e Alice Chicó

30-11-2005
000515

Este segundo CD-ROM da série de dois dedicados a Mário Tavares Chicó e a Maria Alice Lami Chicó pretende aprofundar as respectivas contribuições para a salvaguarda e a divulgação do património cultural. Neste sentido, publicamos aqui diversos textos em que ambos abordam a riqueza cultural e patrimonial do nosso país, da presença portuguesa na Índia e no Brasil e de vários países da Europa. Entendemos também que seria relevante dar a conhecer outros textos e apontamentos de índole mais pessoal, em que ambos abordaram, ainda que de modos diferenciados, temáticas tão diversas como a arte popular e o artesanato, os rumos da museologia, a divulgação e a defesa do património junto dos jovens, retrato do Alentejo e, em especial, de Évora, etc., etc. Incluímos ainda algumas páginas autobiográficas de Maria Alice Chicó em que, como afirma, pretende fazer um verdadeiro balanço da sua vida, "que resultará optimista ou pessimista, não sei ainda". Aí avulta um olhar atento sobre o trabalho no Museu (de Évora) e, sobretudo, na sua ligação com a comunidade e, designadamente, com os alunos das escolas pré-primárias e primárias. Do mesmo modo que aí evoca a sua actividade, "a pedido de Bento Caraça", na assistência aos prisioneiros internados no início da II Guerra Mundial nos campos do Sul de França. Do mesmo modo, publicamos aqui o discurso de agradecimento de Mário Chicó pelo doutoramento Honoris Causa que lhe foi conferido pela Universidade do Recife, em que, não sendo frequente, Chicó fala de si próprio e das suas emoções. Com a documentação aqui reunida, que pretende também completar a que já foi publicada no CD-ROM anterior, entende-se abrir novos caminhos para a investigação, dando público conhecimento da riqueza dos documentos Mário e Alice Chicó.

000514

Documentos Mário e Alice Chicó

28-10-2005
000514

CD-ROM dedicado ao acervo documental de Mário Chicó e Alice Chicó. Conservado por seus filhos, Henrique e Sílvia Chicó, depositado na Fundação Mário Soares, este acervo é constituído por cerca de 30.000 documentos e mais de 10.000 espécies fotográficas. Aí se encontra reunida documentação preciosa e única sobre a vida e a obra de ambos, com especial destaque para o estudo do panorama do património monumental em Portugal, em diversos países europeus, na Índia e no Brasil

000501

5 de Outubro de 1910 - Implantação da República

5-10-2005: 18,30Auditório da Fundação Mário Soares
000501

Lançamento e apresentação do CD-ROM sobre a 5 de Outubro de 1910 - Implantação da República. Este CD-ROM é uma viagem aos acontecimentos que levaram à implantação da República em Portugal, a 5 de Outubro de 1910. Com Apresentação de António Reis texto de Pedro Pezarat Correia sobre a componente militar do 5 de Outubro. O CD-ROM reúne documentos e fotografias, tratados na Fundação Mário Soares.

000476

Os Murais de Abril

19-4-2005: 21,00Auditório da Fundação Mário Soares
000476

Apresentação pública do CD-ROM "Os Murais de Abril". Constituído por cerca de 400 imagens de murais políticos surgidos em Portugal após 25 de Abril de 1974, este CD-ROM pretende trazer ao conhecimento público o que foram e representaram os Murais de Abril - que aparecem organizados, e pesquisáveis, por ano, localidade e organização responsável pela respectiva concepção e execução. Este CD-ROM pretende, preservar a memória do muralismo político de Abril, contextualizando a sua concepção e produção com diversos documentos de apoio e uma entrevista com Guilherme Lopes Alves.

000424

Documentos do MUD Juvenil

31-5-2004
000424

CD-ROM. Reúnem-se neste CD-ROM diversificados documentos sobre o Movimento de Unidade Democrática Juvenil. Oriundos de numerosas personalidades e instituições, estes documentos foram, na sua maioria, digitalizados, organizados e disponibilizados ao público pela Fundação Mário Soares em 1997, no âmbito das comemorações do 50º aniversário do MUD Juvenil. De acordo com o critério definido nessa circunstância, não estão aqui incluídos outros documentos da mesma época, que se referem essencialmente ao MUD e não ao MUD Juvenil. Embora sem carácter exaustivo, entendemos útil reeditar agora esta colecção, com nova organização e apresentação, possibilitando aos interessados aceder com rapidez aos documentos seleccionados, esperando que tal possa contribuir para uma melhor compreensão sobre estas movimentações de oposição ao Estado Novo e sobre a época, viabilizando também os estudos científicos pertinentes

000423

Portugal 1940: um auto-retrato do Estado-Novo

19-5-2004
000423

CD-ROM. Editada pela "Comissão Executiva dos Centenários", dirigida por Júlio Dantas, Portugal 1940 conta com a direcção de J. Leitão de Barros e a colaboração de alguns dos melhores fotógrafos da época: Alvão, A. Silva, A. Ferreira da Cunha, A. San-Payo, Correia Mendes, H. Novais, J. Benoliel, J. Carrasco, J. Lobo, M. Novais, Nunes de Almeida, R. Vaissier e S. Nogueira. O seu grafismo é, também, ainda que em diferentes registos, a afirmação do "Chefe" e da sua "Obra" - sendo curioso assinalar a referência explícita a Henrique Tenreiro (como comandante da Brigada Naval da Legião Portuguesa) e a omissão do nome do Comissário Nacional da Mocidade Portuguesa (Marcelo Caetano), ao mesmo tempo que merecem destaque os arquitectos das principais obras emblemáticas das comemorações. Além do culto do "Chefe", o livro insiste em outras vertentes essenciais do regime, designadamente: as obras de infra-estruturas, a construção do "lar do pobre", as Forças Armadas, a Mocidade e a Legião e a obra do Secretariado de Propaganda Nacional - o que não é de estranhar, tratando-se de uma edição do SPN, dirigido por António Ferro. Ao editar esta obra, o Arquivo & Biblioteca da Fundação Mário Soares pretende fornecer aos leitores o que constitui um verdadeiro auto-retrato do salazarismo no seu apogeu. Também por isso, o próximo CD-ROM desta colecção seja precisamente dedicado ao MUD Juvenil, que, escassos anos depois, havia de constituir o reverso da medalha.
1 a 11 de 59mais antigas

Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt