A Programação e a Gestão Museológicas e os Sistemas de Qualidade

 

Acção de Formação realizada na Casa-Museu - Centro Cultural João Soares, representante da APOM para a Zona Centro e que pretende:

  • Divulgar as principais noções relativas aos Sistemas de Qualidade e dar a conhecer as suas potencialidades como ferramenta de apoio ao trabalho em qualquer organização, incluindo as instituições culturais;

  • Relacionar as etapas mais importantes da Programação Museológica - Definição/Implementação, Gestão e Melhoria Permanente, com as principais ferramentas de apoio concebidas pelos Sistemas de Qualidade.

  • Sensibilizar a comunidade museológico sobre a importância da temática da Auto-avaliação nos Museus.

 Formadoras:

Ana Mercedes Stoffel Fernandes (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Casa-Museu João Soares) e Isabel Victor (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Museu do Trabalho Giacometti)

INSCRIÇÕES


 

 

A PROGRAMAÇÃO E A GESTÃO MUSEOLÓGICAS

 

E OS SISTEMAS DE QUALIDADE

 

 

 

07 DE JULHO DE 2007

 

Ana Mercedes Stoffel Fernandes

(Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Casa-Museu João Soares)

 

Isabel Victor

(Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Museu do Trabalho Giacometti)

 

OBJECTIVOS DA APRESENTAÇÃO

 

  • Divulgar as principais noções relativas aos Sistemas de Qualidade e dar a conhecer as suas potencialidades como ferramenta de apoio ao trabalho em qualquer organização, incluindo as instituições culturais;

  • Relacionar as etapas mais importantes da Programação Museológica - Definição/Implementação, Gestão e Melhoria Permanente, com as principais ferramentas de apoio concebidas pelos Sistemas de Qualidade.

  • Sensibilizar a comunidade museológico sobre a importância da temática da Auto-avaliação nos Museus.

 

DIAGNÓSTICO E IDENTIFICAÇÃO

           

Os Sistemas da Qualidade são métodos facilitadores do trabalho, que definem e utilizam ferramentas de apoio baseadas no bom senso, para serem aplicadas no planeamento e gestão das organizações. Esta metodologia não é dogmática nem fechada e pode e deve ser adaptada às diferentes situações e tipologias institucionais.

            Em Portugal, os Museus e as organizações culturais em geral, não possuem nem utilizam regularmente as ferramentas de apoio à programação e à gestão, que são habitualmente utilizadas pela generalidade das organizações económicas e de serviços, noutros países, incluindo já as instituições ligadas à Cultura e às Artes.

            Acresce ainda, que nem sequer a Programação Museológica, uma ferramenta imprescindível de implementação e garantia de funcionamento dos museus, é aplicada nas suas fases de estruturação, construção ou remodelação, apesar de ser exigida por lei, de existirem em Portugal bons especialistas nesta área e de várias dissertações de Mestrado sobre o tema, terem já sido defendidas em diversas Universidades Portuguesas.

            Na Museologia Local portuguesa, área em que se desenvolvem actualmente uma grande quantidade de projectos de criação e renovação de museus, fundamentados no respeito e promoção da identidade das populações, a falta de um bom sistema de programação e gestão pode ser ainda mais grave, dada a importância do envolvimento da comunidade em regime de voluntariado, a regular exiguidade dos recursos financeiros destinados a fines culturais deste tipo, a frequente dependência das estruturas museológicas relativamente aos poderes autárquicos e a sua variabilidade político-partidária e a necessidade de garantir a sobrevivência e desenvolvimento sustentado destas estruturas.

            Urge, portanto, promover a utilização de modelos sistemáticos de planeamento e gestão de museus, aprofundando o cruzamento entre os domínios da Museologia e da Qualidade e definindo regras simples que, tendo como base os Sistemas de Qualidade, sejam aplicáveis aos Museus em geral, em todas as fases da sua programação e funcionamento regular:

  • Definição

  • Gestão

  • Avaliação e Melhoria Permanente.

 

PROGRAMA

 

Local: Auditório da Casa-Museu João Soares

           

9h30 | Recepção aos participantes

 

10h00 | Moderadora Ana Mercedes Stoffel Fernandes | Apresentação das principais noções relativas aos Sistemas de Qualidade e das suas potencialidades como ferramenta de apoio ao trabalho em qualquer organização, incluindo os museus e as instituições culturais.

 

13h00 – 15h00 | Almoço

 

15h00 | Moderadora Isabel Victor | Apresentação da ferramenta CAF (Commom Assessment Framework) e as suas potencialidades na gestão dos museus e na promoção da Auto-avaliação nestas instituições.

 

18h30 | Encerramento dos trabalhos

 

 

Data limite: 29 de Junho de 2007  

 

Casa-Museu * Centro Cultural João Soares

Tel. 244 891 219 | Fax: 244 892 365 | Email: direccao.casa-museu@fmsoares.pt

 

Sócios APOM e Estudantes: 35 Euros | Não Sócios : 40 Euros

 

 

 

Casa-Museu * Centro Cultural João Soares

Tel. 244 891 219 | Fax: 244 892 365 | Email: direccao.casa-museu@fmsoares.pt

 

Sócios APOM e Estudantes: 35 Euros | Não Sócios : 40 Euros

 


(topo)
 


© FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES