Notas Biográficas de Bento de Jesus Caraça

 

 

Um articulista de Beja descobriu numa hora de ócio que há uma quase contradição entre o meu nome tão católico (sic) e o meu ingresso nas hostes diabólicas (re-sic). Que quere, amigo? Fui batizado à pressa e com um escasso mês de idade. Razoes porque se julgaram dispensados de me consular.

 

1901

18 de Abril - Bento de Jesus Caraça nasce em Vila Viçosa, na Rua dos Fidalgos, numa dependência modesta do Convénio das Chagas, onde a Casa de Bragança alojava alguns dos seus criados. Filho de João António Caraça e de Domingas da Conceição Espadinha.

 

No CD-ROM está disponível um excerto do filme "Bento de Jesus Caraça, Matemático e Cidadão", de Diana Andringa e Cristina Antunes, RTP, 1995.

Video (0'12'')

 

3 meses

 

A família Caraça muda a sua residência para a Herdade da Casa Branca, na freguesia de Montoito, concelho do Redondo, propriedade de Raul de Albuquerque. Os seus pais viriam a ser os feitores da herdade: ao seu pai caberia a responsabilidade de dirigir a parte agrícola e à sua mãe a parte doméstica.

 

1906

5 anos

Aprende a ler com um trabalhador sazonal, José Percheiro, que lhe oferece a Cartilha Maternal de João de Deus. É este que chama a atenção de sua mãe para as qualidades intelectuais de Bento Caraça, recomendando a continuação dos seus estudos.

 

1907

6 anos

A madrinha, D. Jerónima de Albuquerque, reconhecendo as qualidades do pequeno Bento, propõe-se custear-lhe os seus estudos e leva-o consigo para Vila Viçosa, onde ingressa na escola primária da vila, ficando em casa da família Albuquerque, na Rua Câmara Pestana. 

 

1908

7 anos

1 de Fevereiro - Assassinato do rei D. Carlos e do príncipe herdeiro D. Luís Filipe.

 

1910

9 anos

5 de Outubro - Implantação da República.

 

1911

11 anos

Termina a instrução primária.

 

Matricula-se no Liceu Central de Sá da Bandeira, em Santarém.

 

1914

13 anos

Início da l Guerra Mundial.

 

Continua os seus estudos no Liceu Normal Pedro Nunes, em Lisboa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Dias Amado sobre os tempos do Liceu Pedro Nunes

 

1916

15 anos

Março - Portugal entra na l Guerra Mundial.

 

1917

16 anos

9 de Abril - Batalha de La Lys.

 

7 de Novembro - Revolução bolchevique na Rússia.

 

5 de Dezembro - Golpe militar que leva ao poder Sidónio Pais.

 

1918

17 anos

Conclui o curso liceal (complementar de ciências).

Matricula-se no Instituto Superior de Comércio.
14 de Dezembro - Assassinato de Sidónio Pais.

 

1919

18 anos

19 de Janeiro - Restauração da Monarquia do Norte, que dura até 19 de Fevereiro.

 

Agosto - Eleito membro efectivo do Concelho de Administrativo da Universidade Popular Portuguesa.

 

Outubro - Publica o seu primeiro trabalho conhecido, uma tradução do The Times: Exposição de S. Paulo Exploração de tecidos ingleses.

 

1 de Novembro - Nomeado 2 ° Assistente do 1 ° grupo de cadeiras (Matemáticas Superiores - Álgebra Superior, Princípios de Análise Infinitesimal, Geometria Analítica) do Instituto Superior de Comércio.

 

Adoece com febre reumática, da qual resultarão lesões cardíacas.

 

Ao longo do curso, dá explicações particulares para ajudar a custear os seus estudos.

 

1920

19 anos

10 de Janeiro - Criação da Sociedade das Nações.

 

1921

20 anos

Março - É fundado o Partido Comunista Português.

 

1922

21 anos

Lecciona na Universidade Popular Portuguesa um curso sobre Comércio e Finanças.

20 de Outubro - Mussolini marcha sobre Roma.

 

1923

22 anos

Termina a licenciatura em Ciências Económicas e Financeiras

 

14 de Setembro - Primo de Rivera sobe ao poder em Espanha e instaura a ditadura.

 

1924

23 anos

13 de Dezembro - Nomeado 1.º Assistente temporário do Instituto Superior de Comércio. Assume a regência da 2.ª cadeira no ano lectivo 1924/25 (Matemáticas Superiores - Análise Infinitesimal, Cálculo das Probabilidades e suas Aplicações).

 

1925

24 anos

Assume a regência da 1.ª cadeira (Matemáticas Superiores - Álgebra Superior, Princípios de Análise Infinitesimal, Geometria Analítica).

 

1926

25 anos

Janeiro - Greve académica no Instituto Superior de Comércio, Instituto Superior de Agronomia e Faculdade de Letras.

 

8 de Março - Em Genebra, Afonso Costa é eleito presidente da Assembleia Extraordinária da Sociedade das Nações.

 

28 de Maio - É instaurada a Ditadura Militar.

 

Outubro - Ingressa na comissão de redacção da Revista do Instituto Superior de Comércio de Lisboa.

 

1927

26 anos

1 de Janeiro - Casa com Maria Octávia Sena Marques e Cunha.

 

3 de Fevereiro - Inicia-se no Porto uma revelia contra a Ditadura Militar, que alastra a Lisboa.

 

Maio - Nomeado 1.º Assistente efectivo do Instituto Superior de Comércio.

 

18 de Setembro - Morre a esposa.

 

14 de Outubro - Nomeado professor extraordinário da 1.ª cadeira (Matemáticas Superiores - Álgebra Princípios de Análise Infinitesimal Geometria Analítica).

 

 

 

 

 

1928

27 anos

25 de Março - Oscar Carmona é designado presidente da República.

 

26 de Abril - Salazar integra o Governo de Vicente de Freitas, como ministro das Finanças.

 

6 de Dezembro - Assume a presidência do Conselho Administrativo da Universidade Popular Portuguesa.

 

1929

28 anos

28 de Dezembro - Nomeado professor catedrático da 1.ª cadeira (Matemáticas Superiores - Álgebra. Princípios de Análise Infinitesimal Geometria Analítica).

 

1931

30 anos

Janeiro - Lecciona, na sede da Universidade Popular Portuguesa, o Curso de Iniciação Matemática em 53 lições.

 

 

 

 

22 de Março - Profere a conferência "As Universidades Populares e a Cultura", na Universidade Popular de Setúbal

4 de Abril - Inicia-se no Funchal uma revolta contra a Ditadura Militar, sob o comando do general Sousa Dias. A revolta alastra aos Açores, Guiné e S Tomé e Príncipe.

 

18 de Abril - É implantada a República em Espanha

 

Novembro - Terá integrado o Núcleo de Trabalhadores Intelectuais, também designado por Núcleo de Intelectuais Simpatizantes do PCP, ao qual pertenceria também José Rodrigues Migueis.

 

Membro da 1.ª Comissão de Redacção da revista Economia e Finanças, da qual também fazem parte Francisco A. Corrêa e Mira Fernandes.

 

Profere a conferência "As bases fundamentais da Matemática", na Universidade Popular Portuguesa.

 

No ano lectivo 1931/32 é professor num curso livre no Sindicato dos Arsenalistas da Marinha.

 

1932

31 anos

31 de Maio - Profere a conferencia "A Vida e Obra de Evariste Galois", a convite da Associação Académica do Instituto Superior de Comércio.

 

29 de Junho - Salazar é nomeado Presidente do Conselho.

 

Inicia a sua colaboração no jornal Liberdade.

 

1933

32 anos

25 de Janeiro - Admitido como sócio efectivo da Sociedade Protectora dos Animais.

30 de Janeiro - Hitler sobe ao poder.

 

11 de Abril - Entra em vigor a Constituição do Estado Novo.

 

25 de Maio - Profere a conferencia "A Cultura Integral do Indivíduo - problema central do nosso tempo", na União Cultural "Mocidade Livre".

 

 

 

 

22 de Junho - Profere a conferência "Galileo Galilei, valor científico e moral da sua obra", na Universidade Popular Portuguesa, conferência mais tarde editada em esperanto.

 

 

 

Novembro - Funda, com José Rodrigues Migueis, o semanário Globo.

 

 

 

 

 

19 de Dezembro - Admitido como sócio da Cooperativa "A Padaria do Povo"

 

Publica o livro Interpolação e Integração Numérica.

 

1934

33 anos

Agosto - Participa na criação da Liga contra a Guerra e contra o Fascismo, da qual foi dirigente.

 

1935

34 anos

10 de Abril - Profere a conferencia "A Escola Única", na Sociedade de Estudos Pedagógicos.

Junho - Participa no Comité Nacional Português para a Defesa da Cultura, integrado na Associação Internacional para a Defesa da Cultura.

 

Outubro/Dezembro - Formação da Frente Popular Portuguesa.

 

Dezembro - Representante da Liga contra a Guerra e contra o Fascismo na Frente Popular Portuguesa.

 

Publica o primeiro volume do livro Lições de Álgebra e Análise.

 

1936

35 anos

Janeiro - Prossegue, com outros docentes da Faculdade de Ciências de Lisboa e do Instituto Superior Técnico, os trabalhos preliminares que levarão à criação do Núcleo de Matemática, Física e Química.

 

Profere a conferencia "A Arte e a Cultura Popular, na Universidade Popular Portuguesa.

 

3 de Maio - Frente Popular, liderada por Léon Blum, ganha as eleições em França.

 

18 de Julho - Começo da Guerra Civil de Espanha.

 

Inicia a sua colaboração no semanário O Diabo.

 

1937

36 anos

12 de Junho - É-lhe solicitada colaboração para o jornal Sol Nascente.

 

Setembro - Viagem a França

 

Publica o livro Calculo Vectorial

 

1938

37 anos

Janeiro - Participa, com Mira Fernandes e C. M. Beirão da Veiga, na criação do Centro de Estudos de Matemática Aplicadas à Economia, sendo eleito director, cargo que exerce até 1946, data em que este é extinto. É o primeiro centro universitário de investigação teórica em Portugal.

 

Setembro - Viagem a Paris, Genebra e Florença

 

4 de Outubro - Queda da Frente Popular em França

 

1939

38 anos

22 de Janeiro - Profere a conferência "Rabindranath Tagore", na sede da Universidade Popular Portuguesa.

 

1 de Abril - Vitória das tropas franquistas põe termo à Guerra Civil de Espanha.

 

2 de Setembro - Início da II Guerra Mundial.

 

1940

39 anos

Janeiro - Funda, com António Aniceto Monteiro, Hugo Baptista Ribeiro, José da Silva Paulo e Manuel Zaluar Nunes, a Gazeta de Matemática.

Abril - Declina o convite para um baile da Associação Académica do l.S.C.E.F. , no Hotel Aviz.

 

Junho - Cria e orienta a Comissão Pedagógica, organismo da Sociedade Portuguesa de Matemática

Publica o segundo volume do livro Lições de Álgebra e Análise.

 

1941

40 anos

Maio- Criação da Biblioteca Cosmos, que concebe e dirige.

 

 

 

Setembro - Bento Caraça encara a possibilidade de emigrar para os Estados Unidos da América.

 

 

É publicado na Biblioteca Cosmos o primeiro volume dos Conceitos Fundamentais da Matemática.

 

1942

41 anos

Janeiro - Inicia e toma a seu cargo a secção "Pedagogia" da Gazela de Matemática.

 

1 e 2 de Maio - Profere a conferencia "Aspectos do Conceito do Infinito" no Centro de Estudos de Matemática da Faculdade de Ciências do Porto.

 

Junho - Eleito delegado da Sociedade Portuguesa da Matemática aos Congressos da Associação Luso-Espanhola para o Progresso das Ciências. Nessa condição, participa e intervém no Congresso Luso-Espanhol para o Progresso das Ciências, realizado no Porto.

 

Julho - Em Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa da Matemática apresenta a proposta de criação de uma Biblioteca Matemática e faz uma exposição relativa aos trabalhos do Congresso Luso-Espanhol.

 

Novembro - Eleito, pelo Conselho Escolar do Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, representante dos catedráticos no Conselho Universitário.

 

É publicado na Biblioteca Cosmos o segundo volume dos Conceitos Fundamentais da Matemática.

 

1943

42 anos

30 de Janeiro - Derrota das tropas alemãs em Stalinegrado.

 

Abril - Eleito presidente da Sociedade Portuguesa da Matemática, para o biénio 1943/44.

Junho - Profere a conferencia "Algumas reflexões sobre a Arte", na Casa do Alentejo.

 

25 de Agosto - Casa com Cândida Ribeiro Gaspar.

 

Dezembro - Criação do Movimento de Unidade Nacional Antifascista (MUNAF).

 

 

Dezembro - Participa na criação do MUNAF. Integra o Conselho Nacional, presidido por José Norton de Mattos.

 

Profere a conferencia "Leonardo da Vinci", na Universidade Popular Portuguesa.

 

1944

43 anos

Janeiro - Adere à recém-criada Junta de Investigação Matemática.

 

Outubro - Integra, com Ruv Luís Gomes, a delegação da Associação Portuguesa para o Progresso das Ciências ao Congresso Luso-Espanhol para o Avanço das Ciências, realizado em Sevilha.

 

Integra a Comissão Executiva do MUNAF.

 

1945

44 anos

Maio - Termina a II Guerra Mundial, com a capitulação das Potências do Eixo. As tropas japonesas rendem-se a 2 de Setembro.

 

8 de Outubro - Criação do Movimento de Unidade Democrática (MUD), no Centro Republicano Almirante Reis.

 

13 de Outubro - Concede uma entrevista ao jornal República sob o título "Nâo só não se progrediu desde 1926 até hoje como se retrogradou no que respeita aos problemas da instrução".

 

24 de Outubro - Criação da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

29 de Outubro - Publica no jornal República uma Carta Aberta ao Sub-Secretário de Estado das Corporações.

 

16 de Novembro - Responde no jornal República uma entrevista de Salazar.

 

Novembro - Eleito para a Comissão Central do MUD.

 

1946

45 anos

Fevereiro - Inicia a polémica com António Sérgio, na Vértice.

 

O Governo português solicita a admissão nas Nações Unidas (ONU).

 

 

 

Abril - Convocado para prestar declarações na PIDE.

 

Junho - Eleito para a 2.ª Comissão Central do MUD.

             Proibido de fazer na Marinha Grande a conferencia "A posição do homem perante a ciência".

 

Agosto - Co-signatário do manifesto "O MUD perante a admissão de Portugal à ONU", que reclama a democratização do regime como condição de admissibilidade e de respeito pela Carta das Nações Unidas

 

Setembro - A candidatura de Portugal para a entrada na ONU é recusada.

 

10 de Setembro - É-lhe instaurado um processo disciplinar pelo Ministro da Educação, por "difamação grave dos membros do Governo".

 

18 de Setembro - Responde, considerando o processo "como uma violência praticada sobre ele contra a letra e o espírito da Constituição".

10 de Outubro - Por determinação do Conselho de Ministros, é expulso, juntamente com Mário de Azevedo Gomes, da cátedra universitária, sendo-lhe proibida a docência, mesmo no ensino privado.

 

13 de Outubro - Preso pela PIDE. Fica incomunicável numa esquadra durante cinco dias.

 

30 de Novembro - Reunião na "Voz do Operário", promovida pela Comissão Central do MUD Bento Caraça profere uma palestra sobre "Aspectos do Problema Cultural Português".

 

Dezembro - Preso novamente, no Aljube.

                   Solto no dia seguinte.

 

Publica, com Mário de Azevedo Gomes, Duas Defesas.

 

 

 

 

1947

46 anos

Fevereiro - Co-signatário da representação exigindo o encerramento do campo de concentração do Tarrafal.

 

Abril - Abandona a direcção da Biblioteca Cosmos

 

Junho - O Conselho de Ministros demite numerosos quadros universitários e militares.

 

Agosto - Retoma a direcção da Biblioteca Cosmos.

 

Outubro - Escreve, por incumbência do MUD, o manifesto "A posição do MUD no momento político presente".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1948

47 anos

Janeiro - É preso pela terceira vez, com os demais membros da Comissão Central do MUD. Fica em prisão domiciliária por se encontrar já bastante doente.

 

Março - É chamado à PIDE afim de lhe ser comunicada a proibição do MUD.

 

Intervém decisivamente na preparação da candidatura de Norton de Mattos à Presidência da República.

 

Colabora no primeiro número da Revista de Economia.

25 de Junho - Morre em sua casa.

 

O cortejo fúnebre sai da Rua Almeida e Sousa, onde residia, passando pela Rua Ferreira Borges e Rua Saraiva de Carvalho, até ao Cemitério dos Prazeres.

O funeral constitui uma enorme manifestação de pesar.

 

 

1979
 

1 de Junho - Condecorado, a título póstumo, com a Grã-Cruz da a Ordem Militar de Sant'Iago inalado da Espada.

 

 

1980
 

24 de Abril - Condecorado, a título póstumo, com o grau de Grande Oficial da Ordem da Liberdade.

 

 

 

 

Fontes:

 

AAW, Bento de Jesus Caraça. Perspectivas sobre o Homem e a Obra, Guarda, Instituto Politécnico da Guarda, 2001.

 

AAW, Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Lisboa, Editorial Enciclopédia Lda., s.d., vol. 5, p. 841; vol. 39, p. 236.

 

 "Bento Caraça Pensamento e Acção" in História, Ano XX (Nova Série), n.° 9, Dezembro de 1998.

CARAÇA, Filomena, "A Família Caraça" (texto manuscrito).

 

CARAÇA, João, "Bento de Jesus Caraça" in ROSAS, Fernando e BRITO, J. M. Brandão de (dir.), Dicionário de História do Estado Novo, s. l., Círculo de Leitores, 1996, vol. l, p. 121.

 

NASCIMENTO, Ulpiano, "Bento de Jesus Caraça" in BARRETO, António e MÓNICA, Maria Filomena (coord.), Dicionário de História de Portugal, Lisboa, Livraria Figueirinhas, 1999, vol. 7 (Suplemento), pp. 230 e 231.

 

"Professor Bento Caraça" in Revista de Economia, vol. I, fasc. II, s/d.

 

SOARES, Mário, Portugal Amordaçado, s. l., Editora Arcádia, 1974.

 

Vértice, n.° 301/302/303, Outubro/Dezembro de 1968 (n.° de homenagem a Bento de Jesus Caraça).

 

Vértice, n.° 412/413/414, Setembro/Outubro/Novembro de 1978 (n.° de homenagem a Bento de Jesus Caraça).

 

VILAÇA, Alberto, Bento de Jesus Caraça Militante integral do Ser Humano, Porto, Campo das Letras—Editores, 2000.

 

VILELA, António Lobo, "Um campolense ilustre" in Revista Alentejana (provas de imprensa).

 

ZILHÃO, António de Sequeira, O Prof. Bento de Jesus Caraça, Lisboa, Livraria Ler editora, 1980.

 

Depoimentos de Cuida Lami e Luísa Irene Dias Amado.

 

 

Voltar