voltar ao início

República HD


Processo fotográfico digital no Arquivo & Biblioteca da Fundação Mário Soares

Assinalando o Centenário da República, e dando seguimento ao extenso programa de iniciativas levadas a cabo pela Fundação Mário Soares, apresentamos diversas imagens em alta resolução, susceptíveis de serem observadas em todo o pormenor da reprodução fotográfica.



Em finais de 2009, o Arquivo & Biblioteca da Fundação Mário Soares procedeu à aquisição de um sistema fotográfico digital, tendo em vista rentabilizar as acções de sistemática reprodução fotográfica das suas colecções.

Tratou-se de um passo demoradamente ponderado, que acompanhou a própria evolução tecnológica entretanto verificada nos equipamentos disponíveis no mercado. E que teve especialmente em conta evitar soluções de continuidade no processo fotográfico em uso, desde 2001, na Fundação Mário Soares.

Para o efeito, foi seleccionado um sistema H da Hasselblad – constítuido por um corpo H3DII, lentes HC, e um módulo de captura digital de 39 megapixéis de Multidisparo e Micromovimento (CF-MS), que permite captar as imagens com um único disparo ou registar os canais de vermelho, verde e azul separadamente, através de um sistemas de micromovimentos do sensor digital.

Para as imagens que necessitam de descentramentos ou basculamentos, o módulo de captura digital é montado numa Sinar P2, através de adaptador da Kapturegroup.

Por seu lado, o sistema de iluminação utilizado é constítuido por cabeças de flash monoblocos da Broncolor e um sistema de luz contínua da Kaiser.

O sistema é completado com uma mesa reprodução Firenze System 800 dotado de uma cabeça de luz com correção de cor que permite retroiluminar transparências.

Depois de fotografados, os ficheiros (formato raw) são processados através do software da Hasselblad Focus – recorrendo-se para tal a um computador dotado de um processador de 64bits. A imagem processada é exportada para formato Tiff de 16bits que funcionará como matriz, dando entrada no sistema normal de arquivo da Fundação, sendo o ficheiro raw arquivado em servidor autónomo – permitindo, sempre que se verifica a necessidade de proceder a restauros digitais ou manipulações mais "agressivas" na imagem, produzir uma nova cópia a partir desse ficheiro matriz.

O sistema adoptado permite com alguma facilidade executar trabalhos no exterior, funcionando como um sistema de médio formato normal e, ao mesmo tempo, através da tecnologia MultiShot, executar imagens de altíssima qualidade/resolução só possíveis noutros sistemas mais pesados, sensíveis e de deslocação difícil.

A grande parte do trabalho do Arquivo & Biblioteca da Fundação Mário Soares incide sobre conservação, restauro e reprodução de originais bidimensionais opacos e transparentes. O sistema multishot permite uma reprodução de cores figedigna, resolução e detalhe de alta qualidade, essenciais não só para uma fiel reprodução dos originais, como também para posteriores intervenções/restauros sobre a imagem.


Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt