voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Sábado, 19 de Maio de 1906João Franco assume a chefia do Governo

00394

01
Face ao desprestígio dos dois principais partidos, o Progressista e o Regenerador, e a queda sucessiva dos ministérios organizados por cada um deles, o rei chamou João Franco, chefe do Partido Regenerador-Liberal. Em nome do «respeito sagrado pelas garantias individuais e a prática de um verdadeiro sistema representativo», João Franco dizia pretender "governar à inglesa", desenvolvendo a instrução e afastando-se do proteccionismo e do favoritismo reinantes na administração pública portuguesa. O governo incluía José de Abreu do Couto de Amorim Novais (Justiça), Ernesto Driesel Schröter (Fazenda), António Carlos Coelho de Vasconcelos Porto (Guerra), Aires de Ornelas e Vasconcelos (Marinha), Luís Cipriano Coelho de Magalhães (Estrangeiros) e José Malheiro Reimão (Obras Públicas). As alegadas boas intenções deste novo governo foram rapidamente ultrapassadas pela proibição de realização do congresso pedagógico que deveria reunir-se em Coimbra a 24 de Maio e da festa que haveria de celebrar-se em todas as escolas do país alguns dias depois, suspendendo também o director-geral da instrução pública, Abel de Andrade. Embora, a 29 de Maio, decretasse uma amnistia para os delitos de imprensa.

ano: 1906 | tema: Vida Política
palavras-chave: João Franco Partido Progressista Partido Regenerador Partido Regenerador-Liberal Amnistia/Imprensa 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt