voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Quarta-feira, 21 de Março de 1906Forma-se o último governo de Hintze Ribeiro

00383

01
Constituição do último governo de Hintze Ribeiro. Apesar de ter conseguido a maioria nas eleições autárquicas que convocou para 5 de Novembro de 1904, o governo de José Luciano de Castro não resistiu a sucessivas crises e escândalos, envolvendo a questão dos tabacos, alegados casos de corrupção de membros do governo, o agravamento da crise vinícola e, sobretudo, ao crescimento do Partido Republicano, ao mesmo tempo que entrava em sucessivos conflitos com a imprensa. O ministério de José Luciano de Castro caíu a 19 de Março de 1906. Sob protesto de Luciano de Castro – que "surpreendido, estrebuchando sob o golpe, perde a cabeça, e diz ao Rei, diz à Rainha, na presença dos seus ministros, atónitos, que «ajustará contas com Hintze!»" (in "História do Regímen Republicano em Portugal"), Hintze Ribeiro, que encabeçou as pastas da Presidência e do Reino, formou governo a 21 de Março de 1906 com alguns regeneradores: Campos Henriques (Justiça), Teixeira de Sousa (Fazenda), Pimentel Pinto (Guerra), António de Azevedo Castelo Branco (Marinha), Venceslau de Lima (Estrangeiros) e Pereira dos Santos (Obras Públicas). Hintze Ribeiro acabaria por se demitir a 17 de Maio, durando o seu governo não mais de dois meses.

ano: 1906 | tema: Vida Política
palavras-chave: Hintze Ribeiro José Luciano de Castro Questão dos Tabacos 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt