voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Sexta-feira, 18 de Dezembro de 1903Canal do Panamá sob a administração dos EUA

00253


Os EUA assinam um tratado com a jovem República do Panamá, pelo qual a zona do canal é colocada sob a administração norte-americana em troca de uma renda anual. O recrutamento e a força laboral foram um problema grave no início da construção do Canal do Panamá. Não havia mão-de-obra suficiente no Panamá, pelo que a maioria dos trabalhadores foi recrutada no estrangeiro: Barbados, num total de 19.900 trabalhadores, Martinica e Guadalupe, 7.500 homens e ainda 15.000 de outras nacionalidades. Os trabalhadores especializados foram levados dos Estados Unidos (aproximadamente 5.000). Em Maio de 1904, trabalhavam no Canal cerca de 1.000 homens e em Novembro 3.500. No ano seguinte, o número aumentou para 17.000 e, em Dezembro de 1906, eram já cerca de 24.000. A força laboral foi aumentanto todos os anos até Março de 1910 (38.676 operários), sendo que no ano de 1911, no mês de Dezembro, o número diminuiu em aproximadamente 1.000 trabalhadores. Entre Junho de 1912 (38.174 operários) e Agosto de 1913 (39.962 trabalhadores) o recrutamento voltou a aumentar. Em Junho de 1914, último ano ds construção, o número total de trabalhadores era de 33.270. Esta enorme força de trabalho foi sustentada pelo transporte de alimentos através da Panama Railroad e pela instalação de infraestruturas locais, em que imperava a distinção, por um lado, entre os trabalhadores estado-unidenses, os europeu, por outro, e finalmente os trabalhadores das Antilhas. Também o número de acidentes se mantém desconhecido, calculando-se que tenha ascendido a cerca de 25.000 mortos. O Canal do Panamá custou os americanos cerca de aproximadamente 375,000,000 de dólares, incluinndo os $10,000,000 pagos ao Panamá e os $40,000,000 pagos à companhia francesa. O primeiro percurso completo pelo Canal do Panamá realizou-se a 7 de Janeiro de 1914. A partir de 1 de Abril, do mesmo ano, a Comissão do Canal Ístmico deixou de existir, dando lugar a uma nova entidade, o Governador da Zona do Canal, cujo primeiro nomeado foi o coronel norte-americano Goethals. A inauguração oficial, marcada para 15 de Agosto, ficou sem efeito devido à eclosão da Primeira Guerra. Ao longo da sua existência, o Canal proporcionou aos Estados Unidos o domínio económico e militar daquela passagem entre os dois Oceanos e facilitou o exercício da sua supremacia sobre toda a América Central. Face aos protestos crescentes, os EUA concederam, em 7 de Setembro de 1977, partilhar com o Panamá a gestão do Canal. Ao meio-dia de 31 de Dezembro de 1999, a República do Panamá assumiu a responsabilidade total de administração, operação e manutenção do Canal

ano: 1903 | tema: Relações Internacionais
palavras-chave: Canal do Panamá 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt