voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
Sexta-feira, 8 de Maio de 1903Morre Paul Gauguin

00218


Paul Gaugin morreu, em Atuana, nas Ilhas Marquesas, a 8 de Maio de 1903. Filho de Clovis Gauguin, redactor político no "National", um jornal diário de Thiers, e de Aline Marie Chazal, Eugène-Henri Paul Gauguin nasceu a 7 de Junho de 1848. Em 1849 parte com a sua família para Lima, Perú. Durante a viagem o seu pai morre, ficando Gauguin, sua mãe e irmã a residir naquela cidade, em casa de parentes. No ano de 1855 regressam a França, Orleans, onde Paul Gauguin, com apenas onze anos, entra, como aluno interno, no seminário "Saint Mesmin". Em 1862 ingressou na Escola Preparatória da Marinha, em Paris, e, mais tarde matriculou-se no Liceu de Orleans, para completar o último ano. Aos 17 anos (1865), entrou para a Marinha Marcante e embarcou, no Porto de Havre, a bordo do navio "Luzitano", com destino ao Rio de Janeiro. No ano de 1868, um ano após a morte da sua mãe, integra a Marinha de Guerra, onde permaneceu como marinheiro, durante a guerra (1870), na corveta "Jerôme Napoléon". Em 1871, empregou-se como corretor da Bolsa de Bertin, em Paris. Aí conheceu Claude Émile Schuffenecker, nessa altura um pintor amador, que se tornou seu conselheiro e amigo. No ano seguinte, inicia os estudos de pintura patrocinados pelo seu tutor, Gustave Arosa. A 22 de Novembro de 1873 casou–se com Mette Sophie Gad, uma ama dinamarquesa, de quem teve 5 filhos (Emile, Aline, Clovis, Jean René e Pola). No ano de 1874 aprofunda os seus estudos de pintura na Academia Calarossi e dois anos mais tarde expõe no "Salon", pela primeira vez. Em 1875 pinta "O Sena em Paris entre Pont D’Iéna e Pont de Grenelle". Entre 1879 e 1883, Paul Gauguin participa em várias exposições impressionistas (estilo em que se integrava juntamente com Camille Pissaro, Paul Cézane, Édouard Manet, Claude Monet e Johan Barthold Jongkind) com obras como" Retrato da filha Aline" (1879), "Nu ou Suzanne Costurando" (1880), "O Escultor Aubé e o Seu Filho" (1882), etc. Nesse ano de 1883, decidiu dedicar-se, exclusivamente, à pintura abandonando o seu emprego na Bolsa. Em Dezembro instalou-se com a sua família em Rouen, onde a vida era mais barata que em Paris, e um ano depois, devido a dificuldades financeiras, parte para Copenhaga, Dinamarca, para casa dos seus sogros. Em Junho de 1885, após uma exposição sem sucesso em Copenhaga e um desentendimento com os seus sogros, Paul Gauguin regressa a Paris, com um dos seus filhos, permanecendo Mette e os restantes filhos na Dinamarca. Em 1886 conhece Theo e Vincent Van Gogh, pinta "Dança dos Quatro Camponeses da Bretanha" e parte, no ano seguinte, com o seu amigo e pintor Laval, para o Panamá e Martinica. Regressou em 1888 e instalou-se em Pont-Aven, na Bretanha e, abandonando o impressionismo, pinta "A Visão Depois do Sermão" que é a expressão do "simbolismo sintético". A partir desta altura, as obras de Gauguin sofreram um alargamento temático, onde foi introduzido o elemento da cultura primitiva, que simbolizava a atracção pelo exotismo e, de certa forma, uma fuga à civilização ocidental, do que "No Lago (Martinica)" é um exemplo. Nesse mesmo ano, acentuam-se as divergência entre Gauguin e Van Gogh. A grave situação psicológica deste último é apresentada, por Gauguin, através do seu quadro "Vincent Van Gogh Pinta Girassóis" (1888). Em 1889, Paul Gauguin expõe 12 quadros na exposição "XX", em Bruxelas, mas a sua paixão por pintar o desconhecido, a incompreensão dos seus contemporâneos em relação à sua pintura e o facto de a encarar, cada vez mais, como uma missão, fizeram-no leiloar algumas das suas obras, entre 1890 e 1891, para financiar a sua viagem, partindo para Tahiti a 4 de Abril de 1891, onde escreveu a novela autobiográfica, "Noa Noa". Entre 1889 e 1891 Gauguin produziu, entre outras, as seguintes obras: "A Família Schuffenecker" (1889), "Muni e o Gato" (1890), "Rapariga com Raposa" (1890/1891), "A Mulher com a Flôr" (1891) e "Eu te Saúdo, Maria!" (1891). A solidão, de novo as dificuldades financeiras e uma grave doença de olhos, obrigam Paul Gauguin a regressar a Paris em 1893, altura em que recebe uma herança de um tio, que lhe permitiu alugar um estúdio na Rue Vercingétorix. A 3 de Abril de 1895, no entanto, volta para Tahiti, onde constrói uma casa em Punaania, aí vivendo muito perto dos costumes da ilha, cujo exotismo o continua a fascinar, deixando evidentes marcas na sua obra. O figurativo torna-se, então, uma constante na pintura de Gauguin, que um pouco mais tarde, se traduzirá na abordagem do nu feminino. "Rainha da Beleza" (1896) caracteriza a última fase artística de Paul Gauguin. Apesar de nunca ter deixado de pintar, "Nevermore" (1897) e "O cavalo Branco" (1898), Gauguin caiu numa fase de profunda depressão, entre 1896 e 1898, tentando mesmo o suicídio. Em 1899 pinta "Raparigas com Flores de Manga" e a sua companheira tahitiana Pau’ura dá à luz um filho seu. No ano seguinte, a sua situação financeira melhora devido a um contrato que estabelece com um comerciante de artes plásticas, pinta "Mulher de Tahiti" e morre o seu filho Clovis. No ano de 1901, vende a sua casa em Tahiti e muda-se para Atuana, nas Ilhas Marquesas, onde virá a morrer, a 8 de Maio, do ano seguinte, pouco tempo antes de entrar para a prisão a fim de cumprir a pena de 3 meses de prisão a que fora condenado por evasão fiscal. Das suas últimas obras destacam-se "E o Dourado dos seus Corpos" (1901) e "Rapariga com Leque" (1902).

ano: 1903 | tema: Cultura
palavras-chave: Pintura Impressionismo Van Gogh 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt