voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Cronologia


[registo específico]
1902Alargamento da electrificação de Lisboa

00143


As CRGE (Companhias Reunidas de Gás e Electricidade) estendem a toda a cidade de Lisboa a iluminação eléctrica. Constituídas em 1891, a partir da fusão da Companhia Lisbonense de Iluminação a Gás e da Companhia Gás de Lisboa, a Câmara Municipal de Lisboa concedera-lhes o direito de "produzir, distribuir e vender gás e electricidade destinada à iluminação pública e particular e a outros usos domésticos e industriais na área municipal da cidade de Lisboa". A introdução de sistemas de iluminação eléctrica em Portugal parece ter ocorrido em Setembro de 1878, com a exibição na Cidadela de Cascais, por ocasião de um aniversário do Rei D. Carlos, de seis candeeiros de arco voltaico importados de Paris, idênticos aos que iluminavam a Praça da Ópera. Refiram-se ainda outras iniciativas dispersas da iluminação eléctrica, como foi o caso, em 1886, da instalação eléctrica do Teatro S. Carlos, a do Arsenal da Marinha em 1887, a do laboratório fotográfico de Emílio Biel, no Porto, a iluminação da Real Fábrica de Fiação em Tomar, a partir de 1884, ou, em Lisboa, em 1889, a instalação do "Posto de Luz Eléctrica da Avenida". Em 1893, Braga foi iluminada e, no ano seguinte, Vila Real é a primeira rede de iluminação pública com recurso à energia hidráulica, a partir do rio Corgo. Na sequência da outorga de concessões de distribuição de energia eléctrica um pouco por todo o país, o Governo concede, por alvará régio de 14 de Fevereiro de 1907, o aproveitamento de água do Rio Lima, fazendo uma derivação no sítio da Costa do Fajo, Freguesia do Lindoso, Concelho de Ponte da Barca. No ano seguinte, foi dada a primeira concessão de toda a bacia hidrográfica do rio Alva na Serra da Estrela, à Empresa Hidro- Eléctrica da Serra da Estrela. Entretanto, em Lisboa, foram construídas as centrais da Boa Vista e da Junqueira e a rede de tracção eléctrica, edificando-se em 1914-1919, a Central Tejo, central termoeléctrica com uma potência inicial de 10 000 CV.

ano: 1902 | tema: Ciência e Técnica
palavras-chave: Electricidade CRGE 

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt