voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Biografias



Sebastião Leite de Vasconcelos (1852-1923)

77

Sebastião Leite de Vasconcelos (1852-1923)
Nasceu no Porto a 3 de Maio de 1852. Fez os primeiros estudos no Colégio dos Órfãos e o curso teológico no Seminário do Porto. Foi ordenado presbítero em 15 de Novembro de 1874. Apresentado bispo de Beja por decreto de 1 de Agosto de 1907, foi confirmado por Pio X, em bula de 19 de Dezembro. Sagrado na Sé do Porto em 2 de Fevereiro de 1908, fez a entrada solene na diocese a 11 de Março. Recusando-se a cumprir a prerrogativa da Coroa (lei de 28 de Abril de 1845) em matéria de procedimento disciplinar contra professores do seminário, protagonizou, logo no ano seguinte, um violento conflito com o governo, que conduziu à demissão do próprio ministro da Justiça, Francisco José de Medeiros. Na sequência do 5 de Outubro de 1910, e tendo sido informado da implantação República e de que o paço episcopal teria sido invadido, Sebastião Leite de Vasconcelos foge para Sevilha, onde se recolheu no Seminário. Passados cinco dias, comunicou a ausência ao ministro da Justiça e informou que tinha deixado como governador do bispado o vigário-geral e como substitutos dois cónegos. Por portaria de 21 de Outubro de 1910, o Governo suspendeu o prelado de todas as temporalidades, por se ter ausentado sem licença do poder civil. O ministro da Justiça, Afonso Costa, considera que este prelado não só faltou ao seu dever de residência como, não apresentando as desculpas devidas, agravou a situação. Em 18 de Abril de 1911, o Governo declarou D. Sebastião de Vasconcelos destituído das funções de bispo e governador da diocese de Beja e administrador dos bens da sua mitra, mandando instaurar contra ele processo interno judicial. Em 1912, publica em Lourdes um opúsculo intitulado 'Palavras de um exilado'. Em Novembro de 1912, fixa residência em Roma. Em 17 de Setembro de 1915 foi nomeado assistente ao sólio pontífico, e em 15 de Dezembro de 1919 foi nomeado arcebispo titular de Damieta. Morreu em Roma a 29 de Janeiro de 1923, tendo sido os seus restos mortais transladados de Roma para o Porto, onde chegaram em Novembro de 1923.

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt