voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Biografias



Raul Lino (1879-1974)

117


Nasceu em Lisboa a 21 de Novembro de 1879. Com 10 anos de idade, partiu para Inglaterra onde estudou durante 3 anos. Em 1893 ingressou na Escola de Artes decorativas em Hannover, Alemanha. Foi discípulo de Albrecht Haupt. Em 1897 regressou a Portugal e de 1898 a 1900 resolveu percorrer o país em busca do conhecimento das tradições arquitectónicas portuguesas. Em 1899 projecta um pavilhão para a Exposição Universal de Paris de 1900, que acaba por se preterido em concurso, que viria a ser ganho por Ventura Terra. Em 1902 foi a Marrocos. As viagens que fazia foram importantes na sua formação e acabaram por desenvolver o seu gosto pela paisagem. No ano de 1932 tornou-se membro fundador da Academia Nacional de Belas Artes, cuja presidência assumiu em 1967. Defensor de uma arquitectura ancorada na 'tradição', recreada pelo Estado Novo, Raúl Lino será um dos arquitectos mais importantes da simbologia do regime. É nomeado director dos Monumentos Nacionais em 1949, 'impondo as suas concepções portuguesíssimas' e a 'casa portuguesa' (GEPB). De uma obra de mais de 700 projectos, destacam-se o Solar dos Patudos, em Alpiarça, o Cinema Tivoli, em Lisboa, os arranjos do Jardim Zoológico de Lisboa, o Monumento ao Infante D. Henrique; a Casa do Cípreste, em Sintra; a Casa dos Penedos; Escolas Primárias de três regiões de Portugal, Casinos para o Bom Jesus, em Braga; o Grande Hotel do Luso; um conjunto de casas no Estoril entre 1901 e 1906, entre as quais a casa do pianista Alexandre Rey Colaço; o Jardim-Escola João de Deus; a vivenda Caetano da Silva, na Rua Alexandre Herculano; a vivenda do Sr. António Maria Pimenta, na Rua Venâncio Rodrigues; a Casa França Amado nos arredores de Coimbra, etc.Também são de salientar as sua obras de restauro, sobretudo em palácios, como o de Sintra e o de Queluz. Raul Lino tem um vasto conjunto de obras publicadas, nomeadamente 'A Nossa Casa', 1918;"Casa Portuguesa", 1929; 'Casas Portuguesas', 1933;"Quatro palavras sobre Urbanizações", 1945,"Quatro palavras sobre Arquitectura e Música" e sobre alguns elementos morfológicos da Arquitectura nas Artes Estáticas em 1962. Morreu em Lisboa a 13 de Julho de 1974.

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt