voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Biografias



João de Deus Ramos (1878-1953)

107

João de Deus Ramos (1878-1953)
Nasceu em Lisboa a 26 de Abril de 1878. Filho do poeta João de Deus, foi aluno interno num Colégio de Jesuítas, donde foi expulso por suscitar questões em torno da obrigatoriedade de comungar diariamente: 'Se eu não estiver em estado de graça comungo para obedecer ou cometo sacrilégio ?". O seu pai morreu quando tinha 17 anos, em Março de 1896. Acabado o liceu, vai para a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra onde trava amizade com João de Barros. Apesar de ter participado activamente na vida política (foi membro da Maçonaria e Governador Civil na Guarda e em Coimbra) é, no entanto, a educação e a pedagogia que o movem, verdadeiramente, durante toda a sua vida. Em 12 de Outubro de 1910, quando João de Barros é nomeado director-geral da Instrução Primária, João de Deus Ramos ocupa a posição de chefe da Repartição Pedagógica, tendo ambos sido encarregues pelo ministro do Interior, António José de Almeida, de procederem ao estudo e à redacção da reforma do ensino primário. Tratava-se de, conforme escreve Rómulo de Carvalho, pôr em prática uma 'educação republicana, educação interessada na criação e consolidação de uma nova maneira de ser português, capaz de expurgar a Nação de quantos males a tinham mantido, e mantinham, arredada do progresso europeu, sem força, sem coragem, sem meios para sacudir de si a sonolência em que mergulhara.' A 13 de Março de 1911, João de Barros pede a demissão, justificando o abandono do cargo devido a 'modificações introduzidas no texto original da Reforma do Ensino Primário, que viria a ser publicada por decreto de 29 de Março de 1911'. Três dias depois, João de Deus Ramos acompanha-o. Em 1911 inaugura o primeiro Jardim-Escola em Coimbra, projecto concebido e executado por Raul Lino. Em 1917 organiza o Museu João de Deus, a que João de Deus Ramos chamava de 'Biblioteca da Cultura Portuguesa', em que se iriam realizar importantes conferências e debates sobre temas da cultura nacional. É na Sala do Museu que se iniciaram cursos de alfabetização para portugueses e estrangeiros e que, em 1943, se alargarão à preparação de pessoas destinadas a ensinar crianças com menos de 6 anos. A este curso foi dado o nome de Curso de Didáctica Pré-Primária pelo Método João de Deus e que deu origem à actual a Escola Superior de Educação João de Deus. Recusou desempenhar funções no governo de Sidónio Pais. Foi Ministro da Instrução Pública de 21 de Janeiro a 8 de Março de 1920, no governo de Domingos Pereira sobraçando, mais tarde a pasta do Trabalho no governo de José Domingos dos Santos, de 22 de Novembro de 1924 a 15 de Fevereiro de 1925. A 30 de Agosto de 1928, em sociedade com João Lopes Soares, entre outros, funda o Bairro Escolar do Estoril, que se baseava na ideia de 'Escola Nova'. João Lopes Soares saiu deste projecto em 1935 e, no ano seguinte, também João de Deus Ramos o abandona, para criar o Colégio de João de Deus, na Vila Pomares, Monte Estoril. Morreu na sala do Museu João de Deus, vítima de trombose, a 15 de Novembro de 1953.

voltar



Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 052 96 99
fms@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt