013228
FARIA, Telmo Henrique Daniel
As Chefias Militares no Estado Novo: das vésperas do conflito espanhol aos inícios da segunda guerra (1935-1941)
Nota de apresentação
O presente texto é uma reprodução integral da dissertação de mestrado em História dos Séculos XIX e XX - Secção do Século XX, apresentada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em Julho de 1999.
A orientação científica coube ao Prof. Doutor Fernando Rosas que presidiu ao júri das provas constituído pelos professores doutores Nuno Severiano Teixeira e António Costa Pinto.
Sem alterações, este original mereceu a classificação de Muito Bom, por unanimidade, e está de momento a ser ultimada a sua publicação através da editora Cosmos.
Trata-se, no essencial, de um trabalho de investigação no campo da história política, num domínio das relações civis-militares, onde através de uma conjuntura específica se procura compreender uma estruturante fase de criação de um modelo nas relações entre as elites políticas e militares do Estado Novo. Muito dependente de fontes primárias originais, entretanto disponibilizadas, a narrativa preocupa-se em demonstrar zonas mais escondidas na historiografia e em trazer ao público em geral a intensa luta política travada entre as chefias militares e o regime. Partindo da abordagem que a instituição militar não é um corpo monolítico, pelo contrário, pensamos, que através deste nosso "corte" conjuntural podemos perceber com maior clareza a natureza das Forças Armadas, enquanto bloco de segurança política do Estado Novo, abrindo desde já uma janela explicativa para o fracasso de muitas incursões civis "oposicionistas" que nunca conseguiram triunfar perante a blindagem salazarista das Forças Armadas que se cria entre 1935 e l941.
Lisboa, Dezembro de 1999
 

topo