013228
FARIA, Telmo Henrique Daniel
As Chefias Militares no Estado Novo: das vésperas do conflito espanhol aos inícios da segunda guerra (1935-1941)

Introdução     

5

l. Militares na transição da Ditadura

14

2. Uma nova "tecnocracia" próxima do poder

34

2.1. A "tentativa" Barros Rodrigues

34

2.2. Estudos c .. mais estudos na Guerra

42

2.3. A agitada Primavera de 1934

50

2.4. "Oficiosamente" em nome de Salazar

55

2.5. ". .que se adie o problema militar."

60

3. Tensões e divergências na elite militar

68

3.1. Uma estruturação jurídica

68

3.2. A crispação entre o ministro e Salazar

71

3.3. A truculência do major general

89

3.4. As indefinições do Governo

97

3.5, A instabilidade espanhola e o adiamento de um rearmamento geral

103

3.6. A dependência externa de armas e o mau início com a velha aliada

107

3.7. A ruptura na hierarquia militar

113

4. Sob as ordens do capitão

.130

4.1. Rearmamento "político" ou um "mero business ?"

130

4.2. A progressiva secundarização das chefias

142

4.3. " Uma autêntica vigarice"

148

4.4. "trabalhar debaixo de fogo "

154

4.5. Na eventualidade do "Doutor Salazar ser eliminado por atentado"

159

5. Limpeza política nas Forças Armadas

171

5.1. Maior eficiência, menor despesa

174

5.2. Menos política, maior vencimento

178

5.3. Um convite à "reforma"

181

5.4. As primeiras reacções: uma instituição em estado de choque

187

5.5. "Movimento de generais "

199

5.6. Do repor da ordem à conspiração oposicionista

208

6. "..Que a guerra não nos bata à porta!"

222

6.1. O delicado problema do rearmamento

225

6.2. Adaptações e dificuldades no início da guerra

232

6.3 Visões do perigo espanhol/continental

241

6.4. Divergências entre as chefias e o Governo

250

6.5. O recuo de Salazar e o "Plano 40"

259

Conclusões

274 

Fontes e Bibliografia

286

Fontes manuscritas

286

Fontes impressas

287

Bibliografia geral

287

topo