voltar ao início
Arquivo & Biblioteca

Biblioteca



Projecto de instalação e informatização da biblioteca da Fundação Mário Soares
Texto adaptado do projecto elaborado em Julho de 1999

A Fundação Mário Soares prevê a instalação no novo edifício actualmente em fase de construção de uma Biblioteca, a constituir inicialmente com livros e periódicos entregues em regime de depósito pelo Dr. Mário Soares – sem prejuízo de um fundo bibliográfico a adquirir e de outras contribuições [1] que possam verificar-se e de que, desde já, se destacam as obras integrantes de alguns espólios, como o de Bento de Jesus Caraça, de Sarmento Rodrigues ou de Alfredo Ribeiro dos Santos, e diversas outras oferecidas por Francisco Lyon de Castro e Simonetta Luz Afonso.

A Biblioteca será essencialmente vocacionada para a História Contemporânea, a Ciência Política e as Relações Internacionais.

Tendo em atenção a experiência adquirida no decurso do Projecto de Digitalização do Arquivo Mário Soares, pretende-se abordar a constituição, tratamento e disponibilização à consulta dessa biblioteca de modo integrado com o arquivo digital e a Internet e com recurso sistemático a meios informáticos.

Com esta solução integrada quer facilitar-se o acesso a diferentes suportes, enriquecendo as possibilidades e os meios disponibilizados aos utentes deste espaço público – prevendo-se, aliás, que possam vir a estar em funcionamento ligações em rede a diferentes instituições nacionais e estrangeiras.

Para o efeito, considerou-se a sua constituição inicial (incluindo os de referência e que estarão directamente acessíveis aos utentes na própria Sala de Leitura), prevendo-se o seu crescimento, em 2001, para 15.000 volume informatizados.

Registe-se previamente que, face à exiguidade das instalações da Sede da Fundação, esse plano só podia ser executado após a conclusão das obras do novo edifício (que se estimava possível em meados do ano 2000 [2] ), sem prejuízo de, até essa data, se iniciarem as operações pretendidas - o que significa que as mesmas foram executadas em diferentes locais, procedendo-se à transferência dos livros para as novas instalações em fase já adiantada do respectivo tratamento.

Mais se considerou que os volumes a depositar pelo Dr. Mário Soares apresentam, no geral, boas condições de conservação, não carecendo, portanto, de restauros significativos. Em todo o caso, e tendo em vista a preservação das obras levadas à consulta, foi prevista a realização de pequenos restauros e, bem assim, de encadernações.

Em relação aos 5.000 volumes considerados, pretendeu-se informatizar não apenas as suas referências bibliográficas gerais (Autor, Título, Cota, etc.) - geralmente constantes da PORBASE, pelo menos no que respeita a autores nacionais - mas também o seu índice e resumo, para o que, em geral, se recorreu à respectiva introdução ou prefácio, sempre que contivessem elementos elucidativos do conteúdo da obra – o que permitirá disponibilizar à leitura uma informação tão completa quanto possível sobre cada obra, criando as bases de uma verdadeira biblioteca digital.

No que respeita às obras da autoria do Dr. Mário Soares ou às de maior relevância que sobre ele tenham sido publicadas, está a proceder-se à sua digitalização integral e respectiva transposição para um processador de texto, por recurso a métodos de reconhecimento óptico de caracteres (OCR).

Considerado o tempo previsto para as diferentes operações, estimou-se que, uma vez concluídas e entregues as obras do novo edifício, seria indispensável contar com um período mínimo de 3 meses para a sua abertura gradual ao público (inicialmente apenas com a possibilidade de consulta do arquivo digital, das obras de referência e usuais e das obras de/ou sobre Mário Soares).

Importa assinalar, no entanto, que as obras e as respectivas descrições em base de dados serão colocadas à consulta à medida que forem sendo tratadas, o que atenuará os inconvenientes decorrentes do tempo necessário para tratamento global da Biblioteca e, bem assim, colocadas na Internet.

Principais vantagens do sistema proposto:

  • por um lado, evita ao leitor a consulta de inúmeras obras cujo conteúdo exacto desconhece, com as inerentes vantagens para o funcionamento dos serviços da biblioteca e preservação das espécies à consulta;

  • por outro lado, permite integrar gradualmente as bases de dados dos documentos do Arquivo com as das obras com ele relacionadas, com evidentes ganhos em termos de celeridade e rigor da consulta (aí se incluindo as bases referentes aos objectos depositados na Casa-Museu e, gradualmente, as dos arquivos fonográfico, fotográfico e videográfico;

  • e torna ainda possível a colocação imediata na Internet de informação tão completa quanto possível sobre os fundos existentes na Fundação.

Assinala-se, a propósito, que a solução avançada se integra num dos objectivos essenciais definidos no âmbito da DG XIII da União Europeia para efeitos das negociações do actual Quadro Comunitário de Apoio, tendo em vista o reforço das capacidades europeias em matéria de Sociedade de Informação, designadamente nas seguintes direcções:

  • utilização de novas tecnologias de informação;

  • informatização de bibliotecas e disponibilização integrada com o arquivo;

  • internacionalização dos fundos bibliográficos da Fundação.

Por outro lado, sendo a Biblioteca Mário Soares constituída inicialmente por livros entregues em regime de depósito pelo Dr. Mário Soares, considerou-se desde logo conveniente que, designadamente ao nível das principais áreas do saber em que se pretende afirmar - a História Contemporânea, a Ciência Política e as Relações Internacionais - a Biblioteca pudesse contar com as principais obras de referência das diversas especialidades.

Para concretização desse objectivo, a Fundação Mário Soares tem vindo a proceder do seguinte modo:

  • Consulta a um colégio de especialistas nacionais e estrangeiros (das Universidades e das Bibliotecas) para elaboração da lista de obras que considerem fundamentais nas respectivas áreas do conhecimento e, bem assim, dos principais periódicos e revistas da especialidade;

  • Aquisição e/ou assinatura, a partir do início do ano 2001, das referidas obras e periódicos ou revistas e respectiva informatização nos moldes aplicáveis aos exemplares incorporados no fundo inicial.

[1]De que se destacam obras oferecidas pelo Dr. Marcelo Curto.
[2]De facto, o novo edifício apenas foi inaugurado em 30 de Novembro de 2000.


Fundação Mário Soares
Rua de S. Bento, 176 - 1200-821 Lisboa, Portugal
Telefones: (+ 351) 21 396 41 79 | (+ 351) 21 396 41 85 | Fax: (+ 351) 21 396 4156
fms@fmsoares.pt | arquivo@fmsoares.pt | direccao.casa-museu@fmsoares.pt